Trilhas

As trilhas são espaços de leitura da paisagem para construção de valores e tomada de atitudes em relação à natureza. O principal objetivo da interpretação dos espaços em jardins botânicos, segundo  o Manual Técnico Darwin para Jardins Botânicos, é estimular o visitante a conhecer e respeitar as plantas, conscientizando-o a respeito de sua importância para o equilíbrio ecológico e o bem-estar social.

Trilha Matter

É a primeira trilha do JBB, asfaltada e com acessibilidade para portadores de necessidades especiais. Começa na portaria principal atravessando vários tipos de vegetação de Cerrado (denso, típico e ralo), passando pelo  Centro de Visitantes,  pelo Anfiteatro, retornando à Portaria Principal, por uma galeria formada por árvores de Cerrado denso. A vegetação possui ampla identificação botânica, proporcionando visitação auto-guiada.

 

Trilha Ecológica

Implantada no Cerrado, estimula o visitante à interpretação deste rico Bioma, convidando-o a verificar a complexidade e a grandeza da diversidade vegetal da Região Central Brasileira.  Nos 3,5 km de percurso, o visitante passa por diversas fitofisionomias como cerrado sentido restrito, campo limpo, campo sujo e mata de galeria. No percurso, uma surpresa, ao se deparar com  uma das nascentes do Córrego Cabeça de Veado, importante manancial do abastecimento hídrico de Brasília. Em seu último trecho abriga a Trilha da Fauna, propícia para conhecer as características de alguns animais do Cerrado. Com bastante atenção e um pouco de sorte, pode-se avistar um tamanduá, tatu ou outro representante da nossa fauna. Esse percurso é permitido apenas para pedestres. Ciclistas devem seguir pelas trilhas apropriadas.

Trilha Krahô

Dentro da Trilha Ecológica, o percurso é um reconhecimento à importância do povo Krahô, nossa cultura ancestral. Nela, em meio à vegetação nativa, o visitante poderá ver espécies introduzidas por orientação do consultor Feliciano Krahô, contratado pelo projeto para a sua idealização.                       

O povo Krahô vive no nordeste do estado do Tocantins, na Terra Indígena Kraholândia, situada nos municípios de Goiatins e Itacajá. Têm suas raízes no Bioma Cerrado, motivo pelo qual o JBB escolheu reproduzir traços de suas tradições culturais nesta trilha.  

O projeto despertou o interesse dos artistas locais que realizaram uma oficina de reinterpretação da iconografia indígena Krahô, que resultou numa grande instalação de pinturas sobre toras e troncos de madeiras, implantados ao longo da trilha.

                                                                                                     

Trilha Tamanduá-bandeira

São 12 quilômetros adequados para ciclismo e caminhada. O percurso se inicia em meio à vegetação de cerrado densa e outras fitofisionomias farão companhia aos visitantes, como campos sujos, cerrados mais ralos e mata de galeria do contorno do Córrego Cabeça de Veado. Essa trilha percorre as bordas da área de visitação e apresenta toda a riqueza e diversidade do JBB.

Trilha Tamanduá-mirim

São 4,25 quilômetros para ciclismo e caminhada. O início e o fim são no Centro de Visitantes. E a trilha passa por estradas de terra e pista asfaltada, percorrendo diferentes paisagens e terrenos.

Horto Medicinal

São apenas 345 metros, apenas para caminhada. A coleção implantada por técnicos do JBB buscou na literatura informações sobre uso terapêutico de espécies do Cerrado. A trilha está inserida em uma densa área de Cerrado e conta com 100 espécies medicinais identificadas.